27 de maio de 2018

Taxa Selic já atinge 12,25% ao ano e BC não prevê redução no curto prazo

5 de fevereiro de 2015 - 8:25

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), em sua ata de reunião de 20 e 21 de janeiro de 2015, destacou que a inflação se encontra atualmente em patamares elevados, refletindo os ajustes dos preços relativos da economia, em particular, do realinhamento dos preços domésticos em relação aos internacionais e do realinhamento dos preços administrados em relação aos livres.

O Comitê considera ainda que, desde sua última reunião, entre outros fatores, a intensificação desses ajustes de preços relativos na economia tornou o balanço de riscos para a inflação menos favorável.

Assim, neste cenário, o Comitê não descarta a ocorrência de um contexto que contempla elevação da inflação no curto prazo, antecipa que a inflação tende a permanecer elevada em 2015, porém, ainda este ano entra em longo período de declínio. Ao tempo em que reconhece que esses ajustes de preços relativos têm impactos diretos sobre a inflação, o Comitê reafirma sua visão de que a política monetária pode e deve conter os efeitos de segunda ordem deles decorrentes.

Portanto, o ano de 2015 começa com grandes dificuldades de ordem monetária, caracterizando um grande desafio para o Banco Central e o próprio Governo conseguirem o controle dos preços, apesar da conjuntura bastante desfavorável. O aumento do dólar certamente traz impactos negativos para a inflação, em contrapartida ao efeito positivo da redução dos preços das commodities no mercado internacional, como do petróleo e do minério.

Print Friendly and PDF

Noticias Relacionadas