Imagem: MERCADO FINANCEIRO

A aposentadoria é uma fase muito especial e esperada por todos!

É o momento para viajar, conviver mais com a família e os amigos, curtir tudo que a vida nos oferece, sem limites e exigências, e com muita alegria. É aproveitar o resultado do esforço de trabalho realizado ao longo de toda uma vida.

Mas, quando chegamos a esta fase, surge a seguinte e iminente questão: estou preparado para a minha aposentadoria?

Uma vez que você não esteja mais trabalhando, vai necessitar, obrigatoriamente, de uma renda que garanta o padrão de vida desejado, de preferência, igual ou melhor daquele anterior à aposentadoria.

A palavra-chave neste contexto é RENDA! Com uma renda acumulada e disponível para desfrutar uma aposentadoria de qualidade, você vai atingir a sua AUTONOMIA FINANCEIRA.

Assim, é imprescindível produzir recursos excedentes durante o período em que trabalha, a fim de formar uma reserva de valor ao longo do tempo.

Separar e guardar uma parte dos vencimentos mensais do trabalho reflete uma estratégia de acumulação de recursos constante e duradoura.

Sabemos que nem sempre temos condições de gerar renda excedente, aquela que deveria sobrar após os pagamentos das despesas correntes, mas, quando possível, devemos ter como foco economizar recursos olhando para um futuro, mesmo que ainda distante.

O TEMPO é outro fator-chave para alcançar o objetivo de uma aposentadoria tranquila e completa!

É na fase em que estamos jovens que devemos nos preocupar em acumular renda para o futuro.

Quanto mais cedo você começar a economizar, menos pesado fica o esforço para reservar uma quantia periódica e dedicada a sua renda futura.

É necessário PLANEJAR SUA APOSENTADORIA! Elencar quais despesas você pretende manter mensalmente no futuro, assim como quais bens vai querer adquirir, tais como automóveis e imóveis.

FAÇA PROJEÇÕES! Simule quanto você vai precisar de capital financeiro total no início de sua aposentadoria, a fim de gerar uma renda desejada mensal e ainda conservar seu capital principal ao longo dos anos de sua vida.

Por exemplo, se você tiver um capital financeiro de R$ 1 milhão de reais e estimar uma aplicação financeira com base em uma taxa de juros de mercado hipotética de 5% ao ano, você terá R$ 50 mil reais ao ano ou R$ 4,2 mil reais ao mês.

Porém, se a taxa de inflação anual for de 3% ao ano, isto significa que seu ganho real da aplicação financeira (descontado a inflação) será de R$ 19,4 mil ao ano ou R$ 1,6 mil reais ao mês, representando uma taxa de juros real de 1,94% ao ano.

Nesse sentido, é preciso prestar a atenção na diferença entre a remuneração nominal (com inflação) e real (descontada a inflação). Ou seja, se você utilizar os recursos da renda nominal ao longo de sua aposentadoria, seu capital principal vai ser reduzido ao longo do tempo, e poderá não ser suficiente para gerar a renda programada.

A expectativa de vida deve ser levada em conta no seu planejamento! As despesas mensais e anuais precisam ser cobertas pelos valores estimados da remuneração de sua aposentadoria.

Sabemos que na idade de aposentadoria, algumas despesas podem aumentar ainda mais, principalmente aquelas voltadas à sua saúde (tais como remédios, médicos e planos de saúde).

É importante utilizar um ORÇAMENTO PARA VOCÊ PLANEJAR E CONTROLAR SUAS DESPESAS E RECEITAS! Acompanhar se estão aumentando, diminuindo ou mantendo os valores estimados inicialmente.

É chave para conquistar a sua independência financeira e uma aposentadoria de qualidade você REALIZAR BONS INVESTIMENTOS E APLICAÇÕES FINANCEIRAS, seja durante a formação de capital total ao longo do tempo, seja durante o tempo de utilização dos recursos financeiros na aposentadoria.

Montar uma ótima combinação de aplicações financeiras adequadas ao seu PERFIL DE INVESTIDOR, juntando de forma inteligente os fatores de risco, segurança, taxa de retorno, liquidez, rendimento e diversificação, é outro fator-chave para garantir sua aposentadoria e tranquilidade.

É essencial ter uma gestão de seus recursos financeiros que agregue características contemplando a eficácia, a qualidade e a confiança dos investimentos. Caso não tenha conhecimento suficiente, você deve buscar no mercado bons gestores de recursos de terceiros para administrar seu dinheiro no curto e no longo prazo.

Além das aplicações financeiras independentes e com recursos próprios, você pode ter sua aposentadoria com recursos da PREVIDÊNCIA SOCIAL E DA PREVIDÊNCIA PRIVADA.

Na previdência social, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é o órgão responsável pelo Fundo de Previdência, que recebe contribuições originadas dos trabalhadores via seus empregadores ou por conta própria. As contribuições são periódicas e para ter direito ao benefício diversos requisitos são exigidos.

Neste regime, existem diferentes tipos de aposentadoria, como por idade, por idade da pessoa com deficiência, por tempo de contribuição, especial por tempo de contribuição, por tempo de contribuição do professor e por incapacidade permanente ou invalidez.

Já os servidores públicos são contemplados por sistemas específicos, caracterizados por regimes próprios de previdência social, conforme cada ente federativo (municípios, estado e distrito federal, e união).

A previdência privada é uma outra alternativa interessante para você garantir e complementar sua renda na aposentadoria.

A sua fiscalização é realizada pela SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), uma autarquia vinculada ao Ministério da Economia, sendo criada pelo Decreto-lei nº 73, de 21 de novembro de 1966.

Vale ressaltar que os regimes complementares de previdência privada são efetuados por entidades de previdência abertas ou fechadas, sendo, respectivamente, voltadas ao público em geral e à trabalhadores de empresas patrocinadoras.

A gestão na previdência fechada é executada por fundos de pensão, entidades sem fins lucrativos, ligadas à uma empresa ou grupo de empresas patrocinadoras, que também podem contribuir com recursos para a aposentadoria dos funcionários. Seus planos de previdência são constituídos em diferentes modalidades, que contemplam variados tipos de contribuições pelo trabalhador.

Na previdência aberta as contribuições são voluntárias, podendo ser mensais, pontuais e adicionais, conforme os objetivos traçados e os recursos disponíveis em cada momento. O dinheiro é gerido por instituição especializada e autorizada, que visa obter o crescimento do patrimônio e da renda de seus participantes.

É preciso ficar atento à taxa de administração cobrada por cada instituição, pois seu percentual afeta diretamente a taxa de retorno de sua aplicação financeira.

Os planos de previdência privada são de diferentes tipos e destinam os recursos financeiros em fundos de investimentos que, por sua vez, podem aplicar em carteiras lastreadas em uma grande variedade de papéis, tais como de renda fixa e de renda variável, no Brasil e até no exterior. O retorno dos recursos aportados se dá por uma renda mensal, resgate parcial ou total.

É necessário conhecer a política e o conjunto de aplicações financeiras de cada plano de previdência, uma vez que incidem diferentes níveis de riscos e taxas de retorno. O plano escolhido deve ser aquele que mais se adequa ao seu perfil de investidor e, principalmente, ao patrimônio e renda esperados ao longo de toda a sua aposentadoria.

Existem duas modalidades de planos de previdência privada: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Plano Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

No VGBL, o aplicador recebe o valor das contribuições somado ao rendimento dos juros. A tributação ocorre no momento do ganho da aplicação e não é possível a dedução para cálculo do pagamento do imposto de renda devido. Em paralelo, pode ocorrer a taxação no regime progressivo (quanto maior o valor aplicado, maior o imposto de renda) e no regime regressivo (quanto maior o tempo de aplicação, menor é o imposto de renda).

Já no PGBL, existe a possibilidade de dedução de até 12% da renda a ser tributada na declaração do imposto de renda.  É no resgate da aplicação que é descontado o imposto de renda sobre os ganhos auferidos em todo período.

Todos os direitos reservados – MERCADO FINANCEIRO

O MERCADO FINANCEIRO está ao seu lado para lhe fornecer conhecimento, análises e informações de qualidade sobre o tema da aposentadoria, garantindo que você tomará as melhores decisões ao longo do tempo!

Acompanhe o MERCADO FINANCEIRO e fique por dentro de seus informativos, análises, cursos, seminários e palestras sobre o tema da aposentadoria!

Anúncio