Imagem: dreamstime

Capital de Giro

Esta linha de crédito é bastante utilizada pelas companhias.

O capital de giro representa os recursos financeiros que pagam todo o fluxo operacional de uma empresa, sendo essencial para seu funcionamento.

Estoques, matérias-primas, salários, produção, enfim, toda a operação da companhia depende de dinheiro disponível no momento certo.

Quanto menor o custo financeiro de uma empresa, melhor serão suas condições econômicas e de lucro.

O mercado financeiro contempla uma grande oferta de capital de giro pelas instituições financeiras em geral.

As linhas de crédito são normalmente divididas com prazo até 365 dias ou superior.

O volume e as taxa de juros do capital de giro ofertado dependem das características de cada companhia (como faturamento, setor de atuação e estrutura financeira) e podem variar de forma significativa conforme a instituição financeira.

Inclui-se nesta modalidade de crédito o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e as tarifas bancárias.

Nesta operação de crédito, garantias são exigidas, como duplicatas, faturas de cartão de crédito, contratos com fiadores e bens como veículos e imóveis.

Antecipação de Receitas

Os valores relativos às vendas realizadas a prazo por cartão de crédito, cheques pré-datados e duplicatas são antecipados por uma instituição financeira, facilitando a obtenção de recursos e o fluxo de caixa da companhia.

A liquidação das operações ocorre por meio de pagamento dos compradores e não transita pelas contas das empresas.

A antecipação de receitas é um instrumento financeiro interessante para a gestão de caixa das empresas e bastante utilizado no mercado de crédito.

O volume e as taxas de juros dos recursos adiantados dependem das características de cada companhia (como faturamento, setor de atuação e estrutura financeira) e podem variar de forma significativa conforme a instituição financeira.

Inclui-se nesta modalidade de crédito as despesas com IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e com tarifas bancárias.

Conta Garantida

Esta é uma modalidade de crédito que ocorre via empréstimo rotativo e tem por objetivo fornecer às empresas recursos financeiros de curtíssimo prazo e momentâneos, normalmente para cobrir necessidades urgentes de capital.

Cada instituição financeira determina o valor do crédito conforme o limite previamente contratado. O custo do empréstimo é contabilizado conforme os dias de utilização.

Inclui-se nesta modalidade de crédito as despesas com IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e com tarifas bancárias.

As garantias desta operação financeira podem ser oferecidas em diferentes formas, como contrato com aval dos administradores e sócios da companhia, alienação fiduciária de bens e caução de títulos representativos de valores de vendas a receber.

Vendor

Esta operação visa facilitar as vendas das empresas, fazendo com que os seus clientes tenham um maior prazo de pagamento sobre os produtos e serviços adquiridos, via emissão de títulos de cobrança a vencer.

Em paralelo, assegura ao vendedor a entrada imediata de recursos em seu fluxo de caixa.

Caso os pagamentos não sejam efetuados nas datas previstas, a empresa vendedora arcará com os débitos em sua conta corrente.

As condições e o custo da modalidade de crédito “vendor” podem variar conforme as características da operação e da empresa-cliente da instituição financeira.

Para esta operação, diversos tipos de garantia podem ser exigidos pelas instituições financeiras, tais como aval e fiança.

Adiantamento sobre Contratos de Câmbio (ACC)

Esta modalidade de crédito é dirigida às empresas exportadoras e contribui para o melhor equilíbrio e gestão do fluxo de caixa.

Representa um adiantamento total ou parcial de recursos oriundos de uma operação de venda com entrega futura de produtos e serviços para outros países.

Os valores da transação são calculados com base no contrato de câmbio, adiantados em reais, após a conversão pela cotação da moeda estrangeira utilizada na venda.

Como vantagem, o valor da conversão do câmbio já fica previamente determinado e conhecido, e a empresa não corre o risco de sofrer impacto negativo da variação cambial futura. Também, as taxas de juros aplicadas nos ACCs são usualmente baixas.

O prazo máximo de embarque dos produtos e da prestação de serviços é de 360 dias

Já o prazo máximo entre o início do contrato de câmbio de exportação e sua liquidação é de 750 dias. Com os efeitos da pandemia, o Banco Central do Brasil (BCB) alongou este prazo para 1.500 dias.

Todos os direitos reservados – MERCADO FINANCEIRO

Anúncio